Dúvidas dos alunos da disciplina de Sistemas Operativos

Caro Aluno,
Este Blogue inclui algum do conteúdo das aulas práticas. Em caso de dúvida, coloca um comentário na mensagem correspondente. Serei automaticamente avisado pelo Blogue e responderei assim que for possível.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Criar uma máquina virtual no VirtualBox

O primeiro passo é escolher um nome sugestivo e depois identificar no VirtualBox (VBox) qual o tipo de Sistema Operativo. A partir desta indicação, o VBox sugere uma configuração de RAM e o tamanho do disco virtual.

Um factor crítico é a memória RAM e o espaço em disco disponível, pois a máquina virtual (guest) vai retirar RAM à máquina hospedeira (host) e vai precisar de espaço em disco. Se quisermos instalar um sistema operativo numa máquina virtual com 512MB RAM, é aconselhável ter mais 256MB RAM para que o SO e os programas da máquina host possam executar. Para uma instalação de Linux completa, há que arranjar 3 a 4 GB de disco.
Na fase seguinte, escolhe-se a pasta no disco onde se pretende guardar o ficheiro do disco (.vdi ou .vmdk) e que vai guardar todos os programas e dados que constituem a máquina virtual. Aconselho a criar discos de expansão dinâmica, pois vão aumentando (e ocupando espaço em disco) à medida que vamos instalando programas e copiando/criando ficheiros.

Depois... é melhor ver o vídeo que criei, pois para além de poupar no "teclado", as imagens são suficientemente esclarecedoras.

O primeiro video, mostra como se cria a máquina (download aqui - aprox 3,6MB).

video

O próximo vídeo, mostra como se faz a configuração do "hardware" virtual da máquina acabada de criar (download aqui - Aprox. 4,7MB).

video

Instalação do VirtualBox

Aqui vão mais umas dicas sobre VirtualBox.

Download do VirtualBox
No site, faça o download da versão mais adequada (Windows, Linux, OS X para MAC). É importante também descarregar o manual e tê-lo sempre disponível explicar como se faz a configuração, responde à maioria das questões e apresenta dicas para a maioria das situações.
Um dos meus alunos já instalou a versão para Mac (com processador Intel) e funciona.

Instalação
No Windows, a instalação, é de “carregar pela boca”. Aconselho a ler o capítulo 2 do manual e ver como se instala em cada um dos sistemas operativos (SO) host.

Configuração
O VirtualBox em si não precisa de muitas configurações. No menu “Ficheiro->Preferêncais”, pode configurar quais as pastas que o VirtualBox vai usar, se quer usar as extensões do CPU para melhorar a performance, recorrendo às extensões VT-x da Intel e AMD-V, existentes em alguns CPU’s. Pode também configurar a tecla de “Entrada e Saída” na máquina virtual (CTRL Direito) ou ainda o idioma.

Outra zona de configuração é a opção “Ficheiro -> Gestor de Discos Virtuais”, onde pode gerir vários discos virtuais acessíveis pelas máquinas virtuais, incluindo imagens ISO de CD/DVD e de disquete. Na imagem podem-se ver vários discos de máquinas virtuais (Windows Vista, Linux Ubuntu, Windows XP).

O próximo "post" vai ser sobre configuração de máquinas virtuais.

Introdução (teórica) à Virtualização

Para quem não frequenta as minhas aulas e quer conhecer um pouco mais sobre o conceito, aconselho a ler uma cópia dos apontamentos e a ler a documentação existente nos seguintes links:

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Virtualização: Virtual PC ou Virtual Box?

Sou um adepto do uso do conceito de virtualização, quer como plataforma de simulação de hardware, onde podemos executar múltiplos sistemas operativos e aplicações de forma controlada e isolada, quer como forma de agregação de recursos que depois são disponibilizados de uma forma abstracta, como um único recursos de grande capacidade e fiabilidade.

No primeiro conceito inclui-se o software de virtualização VMWare, VirtualPC e VirtualBox. Todos eles excelentes para testar outros sistemas operativos ou usar como plataforma de desenvolvimento de aplicações e testes, sem estragar nada na nossa máquina.

Se quisermos correr uma máquina virtual (guest) com sistema operativo da Microsoft (XP, Windows Server, Vista, etc) numa máquina (host) com Windows, o melhor será apostar no Virtual PC 2007, disponível gratuitamente em http://www.microsoft.com/virtualpc

No caso em que quisermos instalar uma máquina virtual (guest) com Linux (2.4 e 2.6), OpenBSD, Windows (NT 4.0, 2000, XP, Server 2003, Vista), DOS/Windows 3.x então é melhor escolher o VirtualBox, pois estão disponíveis versões para correr em (host) Windows, Linux, Macintosh e OpenSolaris. Isto é, quando criar uma máquina virtual, esta pode ser transportada para outras máquinas (host), logo que o VirtualBox seja compatível com o sistema operativo da máquina. Para isto, basta copiar o ficheiro de configuração para a outra máquina e abri-lo no VirtualBox lá instalado.
O Virtualbox está disponível para download em http://www.virtualbox.org/. No site podemos encontrar manuais muito completos e muitas dicas.

Durante alguns anos, usei máquinas virtuais a correr em Virtual PC 2004, para preparar as minhas aulas de sistemas operativos. Este ano, fiz alguns testes exaustivos de instalação no Virtual PC 2007, de versões mais recentes das distribuições Linux (Fedora, Ubuntu, Open Suse) e identifiquei alguns problemas novos de compatilidade. Ao contrário do que era habitual, os forums de discussão e os sites das distribuições Linux deixaram de apostar nesta ferramenta da Microsoft e não há soluções ou novos "patch's" para os Kernels a correr nas máquinas virtuais Virtual PC. Entretanto, a Microsoft passou a dar suporte às distribuições comerciais como o Suse e Red Hat.
Na sequência disto, decidi adoptar o VirtualBox (http://www.virtualbox.org/), que também é disponibilizado como Open Source. Existe uma versão comercial para Windows que pode ser descarregada da Internet (http://www.virtualbox.org/wiki/Downloads) e cujo licenciamento permite o uso de forma gratuita para uso pessoal, avaliação e académico (http://www.virtualbox.org/wiki/VirtualBox_PUEL).

Acabei de ler que a Sun Microsystems anunciou que vai comprar a innotek, a empresa responsável pelo desenvolvimento da versão comercial e open source do VirtualBox. Boas ou más notícias para os utilizadores do Open Source?

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Começou o 2º Semestre e as Aulas de SO

No dia 11, começaram as aulas de Sistemas Operativos na Universidade dos Açores.
A sala destinada às práticas estava lotada de tal forma que até até havia alunos em pé. Espero que não seja motivo para desistências, mas nestas condições vai ser muito difícil aprender e acompanhar o ritmo, ainda por cima quando se avalia a participação na aula com um peso de 10% da nota final.
Espero que o material facultado aos alunos seja suficiente para recriarem as condições de trabalho em casa ou num qualquer PC com acesso à Internet.
Para acompanhar em www.uac.pt/~aires/so

Utilização segura da Internet - pais descansados

No dia Europeu da utilização segura da Internet, aqui vai o meu contributo para aumentar a segurança no acesso à Internet e deixar os pais tranquilos.
O software K9 Web Protection é o meu filtro favorito e utilizo-o desde 2005 para proteger os meus filhos, os seus amigos e os meus sobrinhos de conteúdos indevidos da Internet. Trata-se de uma aplicação eficaz e gratuita para uso pessoal, criada por uma empresa americana especialista em segurança.
A licença é fornecida depois de disponibilizar os seus dados (nome e e-mail). Por experiência própria, a empresa não abusa do e-mail.
A aplicação é muito pequena e funciona como um serviço. Possui uma consola de administração, protegida por senha e funciona como um filtro que classifica todos os endereços da Internet em várias categorias, podendo o administrador da aplicação também incluir endereços/url ou criar excepções.
Sempre que o filtro encontra um site bloqueado ou duvidoso, surge um alarme (um ecrã que pode ser acompanhado de um cão a ladrar). Em situação de excepção, podemos deixar abrir excepções temporárias, mediante a introdução da senha.

Poderia escrever muita coisa, mas o melhor é consultar a página da Blue Coat, ler toda a documentação, tirar as dúvidas e instalar o software.

Aqui vai o endereço: http://www1.k9webprotection.com/getk9/index.php

Vale a pena.

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Speedmeters - Como validar a Largura de Banda Contratada

Qual o melhor site "independente" para testar a largura de banda de acesso à Inernet?
No final de Janeiro, tive na minna casa dois serviços de acesso à Internet em simultâneo: NETCABO e SAPO ADSL (ambos a ainda a 2MB) e decidi comparar a performance dos dois serviços.
Comecei pelo Speedmeter da FCC (http://speedmeter.fccn.pt/) e verifiquei que os valores obtidos para os dois serviços eram muito diferentes. A SAPO estava sempre em vantagem (aprox. 1.6MB), mas a NETCABO variava entre 0.5 e 1.3MB (aprox.).
Ao testar outros Speedmeters, como o (http://www.speedtest.net/) e o (http://www.auditmypc.com/) verifiquei que obtinha valores muito próximos, o que me leva a concluir que a independência da FCCN pode não ser assim tanta.

O meu conselho: usa o http://www.speedtest.net/.

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Porque aparece este Blogg?

Estava eu a preparar as aulas de Sistemas Operativos, verificando os meus apontamentos e
como acontece todos os anos, questionei-me "O que vou inovar desta vez?".
Decidi criar um blog para publicar todos os conteúdos com interesse para as aulas! E para os alunos!
Aqui vou publicar os sumários, lançar assuntos para discussão e interagir com os alunos, esclarecendo eventuais dúvidas que tenha.

No entanto, vou continuar on-line com o site www.uac.pt/~aires/so, pois não sei como me vou dar com a experiência.